20 de Julho de 2019
|55| 3744.4061
MALES SILENCIOSOS
09 de Maio de 2019
Inicialmente assintomática. Longo período de latência. Incurável. Fatal. Estas são características de algumas das muitas enfermidades que podem acometer trabalhadores em diversos ramos de atividades devido à exposição, inalação e deposição de partículas em seu aparelho respiratório. Dentre as mais conhecidas, estão pneumoconioses como a silicose, a asbestose e o mesotelioma, e o câncer de pulmão. A asma também vem afetando um número cada vez maior de colaboradores.

Podendo ser provocadas ou agravadas pelo trabalho, as doenças respiratórias no Brasil são de difícil acompanhamento estatístico. O principal motivo é que não é comum que os casos sejam relacionados às atividades laborais desenvolvidas pelo empregado, sendo tratados como doença comum. Além da subnotificação, ainda há muita desinformação, tanto por parte dos empregadores quanto dos próprios trabalhadores, e ambos acabam falhando na implantação e observação de medidas preventivas.

Na intenção de estimular a reflexão sobre a importância que as empresas e instituições voltadas à SST têm dado ao assunto, a reportagem conversou com especialistas para entender melhor como se dá o adoecimento nas vias respiratórias dos colaboradores e quais as patologias mais comuns. Também aborda as etapas de prevenção, analisando dados dos benefícios concedidos nos últimos anos pela Previdência Social, que ajudam a construir o cenário dessas doenças que acabam tirando a vida de tantos trabalhadores.
Fonte: Revista Proteção
FOTOS
COMENTÁRIOS